ArtigosGravidezMenino ou Menina

Método Shettles Funciona? Saiba Tudo Sobre Este Método

Conheça o método que promete ajudar você a escolher o gênero do seu bebê de forma natural

Você gostaria de escolher o sexo do seu bebê? É comum os pais ficarem ansiosos para descobrir, depois da ultrassonografia, se terão uma filha ou um filho.

Mas, imagine saber essa informação de modo antecipado, antes mesmo do óvulo ser fecundado. É o que promete o Método Shettles.

Essa técnica é levada a sério por muitas pessoas, mas também gera controvérsias, principalmente dentro da comunidade médica. Então, para esclarecer suas principais dúvidas sobre o assunto, siga com a leitura!

A origem do Método Shettles

O método foi criado em 1960 pelo biólogo Landrum B. Shettles, um dos médicos pioneiros no procedimento de fertilização in vitro. Seu objetivo é ajudar as pessoas a escolherem com maior precisão o sexo do bebê que desejam ter.

De forma natural, as chances são de 50% para nascimentos de meninos e meninas. Porém, de acordo com o Dr. Shettles, é possível aumentar para 75% a taxa de probabilidade para o gênero desejado se for utilizada a técnica criada por ele.

Isso ocorre levando em conta o ciclo menstrual e a posição adotada na hora do sexo.

Para explicar detalhadamente o Método Shettles, o médico publicou um livro, em 1971, intitulado Como escolher o sexo do seu bebê. No próximo tópico, no entanto, vamos mostrar de forma geral como você pode utilizar essa técnica.

A forma de utilizar o Método Shettles

A primeira coisa que você precisa entender é que o Dr. Shettles afirmava existirem diferenças marcantes entre os espermatozoides com o cromossomo Y (masculino) e o cromossomo X (feminino).

Os primeiros seriam muito ágeis, porém mais sensíveis e, por isso, acabavam morrendo facilmente. Os outros se movimentariam mais lentamente, mas com maior resistência, podendo sobreviver vários dias dentro da região vaginal.

O ciclo menstrual

Com as informações anteriores em mente, a mulher precisa conhecer bem o seu ciclo menstrual. Afinal de contas, caso queira ter um menino, o ideal é ter relações sexuais no dia da ovulação, facilitando o acesso do espermatozoides masculinos até o óvulo.

Caso queira ter uma menina, o sexo deve ser feito de dois a quatro dias antes desse momento. Assim, os espermatozoides masculinos tendem a não resistir até o dia da ovulação. Em contrapartida, os com cromossomos femininos conseguem se manter ativos até o momento da fecundação.

A posição sexual

Para o Método Shettles, a posição sexual é outro fator relevante no processo de escolha do gênero do bebê.

Todas aquelas em que o casal fica de frente um para o outro favorecem uma penetração mais profunda. Sendo assim, os espermatozoides são lançados próximos à entrada do útero, uma região mais tranquila para a sobrevivência dos gametas, principalmente os masculinos.

Já as posições nas quais a mulher fica de costas para o homem fazem com que o esperma seja lançado mais na entrada do canal vaginal. Esse local é mais ácido e distante do útero. Sendo assim, os espermatozoides precisam de uma caminhada maior para fazer a fecundação.

Nesse processo, a vantagem é dos gametas femininos, que têm resistência superior e conseguem sobreviver por mais tempo.

A eficácia do Método Shettles

Apesar de muito divulgado, a ciência não comprova a eficácia do Método Shettles.

Primeiro porque estudos mostram que não há diferença clara entre a morfologia dos espermatozoides que carregam cromossomos femininos e masculinos. Sendo assim, todo o embasamento de que um é mais rápido e o outro mais resistente caem por terra.

Segundo porque um estudo feito pela revista The New England Journal of Medicine, em 1995, com mais de 200 mulheres, mostrou que não existia um padrão entre o gênero do bebê, o dia da relação sexual e a posição da penetração.

Sendo assim, você pode até colocar em prática a técnica do Dr. Shettles, afinal ela é simples e não tem nenhuma contraindicação. Porém, não deposite nesta toda a sua esperança.

Até porque, o método serve como um auxílio para quem quer escolher o sexo da criança, não sendo uma ferramenta mágica.

Gostou do artigo de hoje? Então, compartilhe com seus amigos nas redes sociais! E caso tenha alguma dúvida, escreva nos comentários.

Comentários:
Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo